Pare de apagar incêndio e gerencie seus projetos

Sabemos exatamente quando apagamos incêndio e quando concluímos nossas tarefas dentro do prazo previsto em nossos projetos.

Sabemos que concluir as tarefas dentro do prazo previsto é muito mais saudável para nossa empresa, mas porque os incêndios continuam a aparecer?

Sem dúvidas a falta de planejamento é o principal fator. Mesmo sabendo disso o comportamento não muda.

Você pode ter competência suficiente para resolver muita coisa aos 45 minutos do segundo tempo, mas normalmente sorte está do seu lado.

Esse comportamento acaba tornando-se um mal hábito, lado a lado com a velha desculpa da correria do dia a dia.

Engana-se quem acha que entrega seu melhor agindo dessa forma, sempre existe algo de valor que merecia um pouco mais de atenção, a qualidade do seu trabalho esta diretamente relacionada aos produtos que entrega.

Quando os prazos de fato são perdidos, a história é diferente. Podemos citar vários casos que se repetem diariamente em várias equipes, mas vou citar algumas das principais desculpas que são dadas:

  • “Achei que era pra outra semana!”
  • “Estava cheio de coisas pra fazer!”
  • “Outro cliente estava me ligando todo dia, tive que atende-lo primeiro!”
  • “Não sabia que eu era o responsável!”

Desculpas não adiantam quando um prazo é perdido, tem solução? Claro, mas o desgaste é infinitamente maior.

Você perde muito tempo avaliando as opções, seja junto ao órgão ou até mesmo avaliando questões jurídicas que podem te dar suporte. Muito trabalho extra e desgaste da equipe.

Imagina como seu cliente avalia seu trabalho após um atraso impactar diretamente sua operação.

Se alguma vez esses fatos já fizeram parte da rotina de sua equipe, esta na hora de pensar em mudar a forma de gestão de seus projetos.

Veja quais são os principais pontos que deve ficar atento:

  • Toda tarefa no projeto, por menor que seja, deve ter um responsável.
  • As informações devem estar disponíveis a todos os membros da equipe.
  • Tudo deve estar documentado, a memória humana pode ser incrível mas após um tempo não se lembrará de detalhes importantes.
  • Nunca dependa de informações que estão somente com um membro da equipe.
  • Tarefas de revisão são obrigatórias.
  • Tenha controle de tudo que esta atrasado ou em dia em seus projetos.
  • Avise seu cliente com o máximo de antecedência possível se algo der errado e não puder cumprir os prazos.

O Geoadmin Projetos é um sistema que pode deixar tudo isso mais simples, acesse o link abaixo e conheça.

Conheça o Geoadmin

5 razões para não usar o Google Earth em seus projetos

As imagens de satélite de alta resolução estão cada dia mais acessíveis para aqueles que necessitam analisar as transformações que estão ocorrendo na Terra.

Desde o lançamento do Google Earth, o acesso a informação geográfica por imagem de satélite facilitou a manipulação e conhecimento por vários tipos de usuários, não somente aqueles profissionais da área de geotecnologias.

Foto: Sydney Australia – Sensor WorldView4 – Capture date: January 8, 2017

No início, vários usuários chegavam a questionar se aquela imagem vista no computador era “ao vivo”, ou seja, naquele momento em que se navegava pelo sistema visualizando imagens da Terra. Tal questionamento era considerável devido à resolução espacial das imagens, onde se identificava perfeitamente os alvos/feições do cotidiano das pessoas.

Desde construções ou loteamentos novos até sinalização viária do município, em qualquer lugar do mundo.

Qual é o problema de usar o Google Earth?

Atualmente o Google Earth é utilizado em grande parte dos estudos e projetos que envolvem a aquisição de dados a partir de imagem de satélite.

Vale lembrar que a utilização das imagens oriundas do Google Earth tem limites legais e contratuais, podendo causar transtornos para quem as utiliza de forma ilegal (estamos falando do famoso termo de utilização, que poucas pessoas leem e/ou dão a devida atenção).

Você sabia que as imagens obtidas com o Google Earth ou Google Earth Pro estão sujeitas a termos de uso bem restritivos? Não, você não pode utilizá-las de forma legal, com downloads ou “tirar um print”.

Copiando de forma literal do termo de uso, destacamos as seguintes questões:

a. redistribuir ou vender qualquer parte do Google Maps/Google Earth ou criar um novo produto ou serviço com base no Google Maps/Google Earth (exceto se utilizar as APIs do Google Maps/Google Earth em conformidade com os respetivos Termos de Utilização);

b. copiar o Conteúdo (exceto se o Utilizador tiver permissão para o fazer de acordo com o exposto na página de permissões Utilizar o Google Maps, o Google Earth e o Street View ou com a lei da propriedade intelectual aplicável, incluindo a "utilização razoável");

c. transferir o Conteúdo em massa ou criar feeds em massa do mesmo (nem permitir que alguém o faça);

d. utilizar o Google Maps/Google Earth com a finalidade de criar ou expandir qualquer outro conjunto de dados relacionado com mapeamentos (incluindo um conjunto de dados de mapeamento ou navegação, uma base de dados de fichas de empresas, uma lista de correio ou uma lista de telemarketing) para utilização num serviço de substituição ou num serviço consideravelmente semelhante ao Google Maps/Google Earth;

Para saber mais do termo de utilização, indicamos a leitura direto do fornecedor: Termos de Utilização Adicionais do Google Maps/Google Earth.

Em suma, você não pode utilizar o Google Earth para:

  1. Criar mapeamentos derivados das imagens de satélite (traçar em cima da imagem);
  2. Vender as imagens diretamente ou indiretamente (processos ambientais, etc);

Existem diversos outros problemas de ordem técnica com o uso do Google Earth, mas isto é assunto para outra postagem.

5 razões para não usar o Google Earth em seus projetos

Metadados

Os metadados são as informações técnicas das imagens, onde consta dados daquela cena coletada, como data de coleta, cobertura de nuvem, coordenadas de localização, etc.

Estão presentes em todos fornecedores de imagem de satélite e são as informações necessárias para comprovar o registro de determinada imagem.

Programação de Imageamento

As imagens de satélite podem ser adquiridas em duas situações:

a. Acervo – são aquelas áreas que já houve coleta de determinado satélite e ficam disponíveis para compra. Essas imagens possuem menor custo quando comparadas as imagens programadas, mas não há cobertura de todas as áreas.

b. Programado – através da escolha de uma área e data, pelo cliente, a operadora do satélite faz a programação de coleta exclusiva para aquela cena. É um pouco mais cara que a imagem de acervo, mas é uma imagem inédita, de altíssima qualidade, feita exclusivamente para você.

Bandas Multiespectrais

As bandas multiespectrais possuem a vantagem de de facilitar na identificação dos alvos na Terra, a partir da composição de cores da imagem. Basicamente, pela diferença de frequência das bandas do sensor, os alvos possuem respostas espectrais diferentes, permitindo assim melhor análise da imagem.

Resolução Espacial

A resolução espacial das imagens disponíveis no GoogleEarth não possuem a resolução espacial daquelas adquiridas pelo fornecedor, o que pode prejudicar os estudos, principalmente na identificação dos alvos.

Marca D’Água

Quando se utiliza imagem de satélite do Google Earth em estudos ou projetos, há uma marcação em branco na imagem informando ser uma foto/captura de tela do Google Earth.

Em alguns casos pode atrapalhar na identificação de algum ponto na imagem e demonstrar a utilização não autorizada da imagem.

Na próxima postagem apresentaremos alguns exemplos dos metadados e as diferenças de resoluções espaciais dos produtos DigitalGlobe.

Esse conhecimento é muito importante na hora de aquisição de imagem de satélite, pois a finalidade de cada projeto pode ser determinante para escolha certa da imagem de satélite.

Qual é a alternativa?

A Geoadmin, empresa de soluções em geotecnologias, iniciou em 2018 uma parceria com a DigitalGlobe para o fornecimento dos produtos da empresa, tanto imagens de satélite de alta resolução como serviços de processamentos de dados geográficos.

No gif abaixo, mostramos a diferença das imagens do Google contra a imagem em alta resolução, no formato que ela vem da DigitalGlobe

comparação

Solicite um orçamento com a Geoadmin

Como solicitar suas imagens?

A maioria das imagens que se visualiza no programa Google Earth são fornecidas pela DigitalGlobe, empresa com sede nos Estados Unidos e líder mundial no mercado de imagens de satélite de alta resolução.

Atualmente a constelação da empresa conta com os seguintes satélites, todos de alta resolução:

  • WorldView-1 (0,50m)
  • WorldView-2 (0,46m)
  • WorldView-3 (0,31m)
  • WorldView-4 (0,31m)
  • Geoeye (0,41m)
  • QuickBird (0,61m)
  • Ikonos (0,82m)

Resultado do Sorteio

Boa noite pessoal!

É com muito prazer que venho divulgar o ganhador do nosso pequeno sorteio, “Você compra imagens de satélite”!

O ganhador hoje foi o Ricardo Fernandes Amâncio de Araçatuba/SP! Fizemos o sorteio pelo próprio Google Drive, disponível abaixo:

Sorteio

PS: paciência com a carga do GIF…ele ficou com 1.5MB.

Já entramos em contato com Ricardo para descobrir para onde enviar os brindes!

Gostaria de agradecer imensamente as seguintes pessoas:

  1. Vocês que participaram!
  2. A Digital Globe que disponibilizou para nós brindes super legais – um adesivo estiloso, uma caneta excelente e uma mini-globo terreste para fazer exercícios!

Parabéns ao Ricardo e obrigado a todos pela participação!

Abraços e até a próxima.

Fórum Regional de Sustentabilidade

Nós da Geoadmin gostaríamos de parabenizar a organização do Fórum Regional Ambiental realizado dia 12 de Março de 2018 em Uberlândia MG, onde a SUPRAM Triângulo Mineiro pode discutir com os agentes envolvidos quais foram as principais mudanças na Deliberação Normativa Copam nº 217, de 06 de dezembro de 2017 que entrou em vigor em 06/12/2018.

“Tudo deveria se tornar o mais simples possível, mas não simplificado.” Albert Einstein

Essa frase resume bem nossas impressões ao participar do Fórum Regional de Sustentabilidade e queremos destacar dois pontos importantes:

O Primeiro relacionado à principal mudança, a desburocratização de processos, porém a responsabilidade do empreendedor e do consultor ambiental em relação aos processos ambientais ficou bem maior.

O Promotor de Justiça Dr. Carlos Valera citou a famosa frase do Tio Ben da história quadrinho Homem Aranha “com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”, alertando empreendedores e técnicos ambientais que o processo será mais rápido, porém a responsabilidade técnica não prescreve, então havendo qualquer problema os técnicos poderão ser responsabilizados criminalmente pelos danos ao meio ambiente a qualquer tempo.

O segundo relacionado à municipalização do licenciamento ambiental (Deliberação Normativa Copam nº 213) cujo o objetivo é transferir do estado para o município a responsabilidade de licenciar empreendimentos que causem ou possam causar impacto ambiental de âmbito local, seguindo critérios estabelecidos no convênio firmado, neste sentido destacamos os seguintes aspectos:

  • Agilidade no processo de licenciamento
  • Facilidade logística para o empreendedor
  • Competência fiscalizatória
  • Competência Normativa
  • Recebimentos de taxas de licenciamento
  • Recebimento de multas ambientais
  • Compensações ambientais

Em ambos os casos tanto do lado do consultor quanto do órgão municipal é necessário fazer uma boa gestão das informações geradas.

Neste sentido o Geoadmin Projetos é uma ferramenta que pode concentrar todas as informações em uma única plataforma e auxiliar na gestão dos projetos.

O Geoadmin é um programa criado para a gestão de de empreendimentos e projetos. Trata-se de um sistema segmentado em seções tais como “Empreendedores”, “Empreendimentos”, “Projetos”, “Tarefas”, e “Documentos” que estão intimamente ligadas para garantir que o usuário tenha controle efetivo sobre às ações pertinentes aos projetos cadastradas de forma rápida e precisa.

As informações geradas pelo órgão ambiental, empreendedores e consultores ambientais em seus projetos e pesquisas são um patrimônio valioso do ponto de vista estratégico, pois todo seu legado esta associada a esse patrimônio.

O acesso e a gestão de forma integrada será um diferencial competitivo nas decisões do órgão ambiental e consultores ambientais, além de poupar recursos que poderão ser investidos em outras áreas.

Acesse o Site do Geoadmin pra maiores informações.

Você compra imagens de satélite?

Boa tarde pessoal!

A imagem desta postagem é uma Worldview 4, tirada em dezembro de 2016, em São Paulo – SP. O grande cruzamento na imagem é a Av. Brig. Faria Lima (de cima para baixo) com a a Av. Pres. Juscelino Kubitschek.

Gostaríamos de expandir a utilização das imagens de satélite em diversos ramos de negócio, que possivelmente não conhecem as possibilidades que este tipo de recurso apresenta.

Para isto, desenvolvemos um questionário para qualificar o uso das imagens e conhecer um pouco mais nossos clientes.

O questionário é super simples, está disponível no Google Forms e pode ser respondido em menos de 2 minutos.

Acesso ao questionário

De forma a incentivar a o aprendizado desta nova ferramenta e tecnologia, vamos sortear o livro Iniciação em Sensoriamento Remoto, da Editora [Oficina de Textos] e (https://www.ofitexto.com.br/) e um conjunto de brindes para quem responder o questionário.

O sorteio será realizado no dia 30/03/2018 e utilizará o email do respondente como identificador.

sorteio

O envio também é por nossa conta :D.

Já uso imagens de satélite! Quero um orçamento!

Prezado cliente, caso você já utilize imagens de satélite, basta seguir nosso passo a passo para solicitar um orçamento:

  1. Desenhe sua área de interesse no Google Earth, QGIS, ArcGIS ou outro software de geoprocessamento. Salve uma versão da área de interesse em shapefile ou kml.
  2. Nos envie um email, anexe o arquivo construído no ponto 1. Neste email, nos informe os seguintes detalhes:
    • Qual é data da imagem que você precisa?
    • Qual é a finalidade do uso? Conte nos um pouquinho do objetivo que você quer atingir com esta imagem
  3. Receba seu orçamento via email;

alt