SIG – Brasil – Como a implantação da INDE poderá auxiliar no seu dia-a-dia trabalhando com produção cartográfica?

O avanço da tecnologia da informação nos últimos 20 anos proporcionou grande impacto na vida dos profissionais na área da cartografia. A cartografia digital, com a evolução dos softwares e equipamentos de coleta de dados transformaram todo processo de produção cartográfica, tornando-o mais rápido e eficiente.
Com tanta facilidade e acesso a estas novas tecnologias, os produtos gerados nas diversas esferas e pelos diversos profissionais constituem uma enorme fonte de informação. Mas, mesmo com tanta informação gerada, não conseguimos encontrar com facilidade aquele base cartográfica específica de hidrografia ou sistema de transportes. E quando encontramos, muitos arquivos estão sem informações essenciais (fonte do levantamento, método utilizado, etc…) e outros apresentam tabela de atributo sem nenhuma informação correta ou estruturada. Para normalizar e organizar esta situação, a implantação da INDE (Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais) torna-se essencial para melhor gestão das informações geográficas existentes no Brasil.
######O que é a INDE?
A INDE é o “conjunto integrado de tecnologias; políticas; mecanismos e procedimentos de coordenação e monitoramento; padrões e acordos, necessário para facilitar e ordenar a geração, o armazenamento, o acesso, o compartilhamento, a disseminação e o uso dos dados geoespaciais de origem federal, estadual, distrital e municipal.” Tem como principais objetivos:

  1. promover o adequado ordenamento na geração, armazenamento, acesso, compartilhamento, disseminação e uso dos dados geoespaciais;
  2. promover a utilização, na produção dos dados geoespaciais pelos órgãos públicos das esferas federal, estadual, distrital e municipal, dos padrões e normas homologados pela Comissão Nacional de Cartografia – CONCAR; e
  3. evitar a duplicidade de ações e o desperdício de recursos na obtenção de dados geoespaciais, por meio da divulgação da documentação (metadados) dos dados disponíveis nas entidades e nos órgãos públicos das esferas federal, estadual, distrital e municipal.

Um desafio grande da INDE está na utilização dos padrões e normas homologados pelo CONCAR nos órgãos públicos, principalmente naqueles onde não há setores ou profissionais capacitados para gestão de dados geográficos. Atualmente, o Exército Brasileiro, a partir da DSG (Diretoria de Serviço Geográfico) tem o encargo de elaborar Normas Técnicas para o Sistema Cartográfico Nacional no que concerne às séries de cartas gerais das escalas de 1:250.000 e maiores (Decreto-Lei 243, de 28/02/1967, Art. 15, §1º, item 2.). As normas elaboradas estão disponibilizadas no portal do portal do exército (http://www.geoportal.eb.mil.br/index.php/inde2), caso você ainda não conheça segue descrição:

ET-EDGV – Especificação Técnica para Estruturação de Dados Geoespaciais Vetoriais (define um modelo conceitual);

ET-ADGV – Especificação Técnica para a Aquisição de Dados Geoespaciais Vetoriais (define regras de aquisição da geometria dos dados);

ET-PCDG – Especificação Técnica de Produtos de Conjuntos de Dados Geoespaciais (define os padrões dos produtos vetoriais e matriciais);

ET-RDG – Especificação para a Representação de Dados Geoespaciais (garante a consistência na representação das classes de objetos);

ET-CQDG – Especificação Técnica para o Controle de Qualidade dos Produtos de Conjuntos de Dados Geoespaciais (define os procedimentos para o controle de qualidade dos produtos);`

Caso você utilize QGIS na produção de dados cartográficos, instale o plugin DSG Tools para utilizar funcionalidades de banco de dados (criar base dados no modelo da INDE) e camadas wms, com imagens de satélite rapideye e landsat e camadas de cartas topográficas, tudo disponibilizado pelo exército.
dsgtools

Na próxima postagem iremos demonstrar como produzir dados vetoriais a partir do modelo da EDGV, utilizando um banco de dados spatialite criado pelo DSG Tools.

Maiores informações sobre assunto você econtra aqui:

http://www.inde.gov.br/
http://www.geoportal.eb.mil.br/index.php/inde2

Hubot e ChatOps

Vocês conhecem o projeto do github, o Hubot?

O hubot é um bot, capaz de te ajudar em diversas tarefas dentro da sua organização. Ele funciona recebendo comandos de uma sala, existente no seu sofware de mensagens instantâneas. Existem vários adaptadores, para programas, como Skype, slack e o mattermost, que é o software que usamos aqui.

Basicamente, você precisa de uma instância dele rodando em algum lugar e conectá-lo ao seu software de mensagens instatâneas.

Não vou entrar em detalhes aqui, pois o processo é diferente para cada software, mas é bastante fácil. Temos uma instância rodando no Heroku.

Deem uma conferida na documentação de como subir o bot, aqui.

Mas como vamos gerenciar nossos projetos?

Aqui na Sigma usamos o Gitlab como nosso gerenciador de repositórios. Não só repositórios, mas tudo mais que o Gitlab traz, de graça para você, como:

  • Usuários
  • Projetos
  • Issues
  • Milestones
  • Merge Requests (similar o Pull Request do Github)
  • Entre outras coisas bacanas!

O que fizemos foi criar um plugin para o Hubot, que escuta alguns comandos específicos, vai no Gitlab, faz as contas referentes ao andamento do projeto e responde no canal do Mattermost.

Bem bacana! Usamos isto para reportar para nosso clientes o andamento dos projetos e gerar gráficos como este aqui em baixo:

Burndown

O hubot, no entanto, pode escutar os seguintes comandos:

>

hubot gitlab search [termo]

hubot gitlab list projects (lista os projetos existentes no Gitlab)

hubot gitlab list milestones [project_id] (lista milestones do projeto)

hubot gitlab list issues [project_id] (list issues do projeto);

hubot gitlab progress [project_id] (gera a medida de progresso do projeto)

São poucos comandos no momento, mas estamos planejando expandir esse camarada. O bacana do hubot é que ele funciona muito bem com qualquer tipo de mensageiro instantaneo que possua um adaptador para ele, ou seja, isso pode ser aplicado mesmo se vocẽ não usa o slack ou o mattermost.

Um exemplo em funcionamento:

Gitlab Agile

É bem simples e dá estatísticas atualizadas!

Como sempre, publicamos nosso pacote no npm e ele é aberto em nosso Gitlab. O mesmo já foi puxado ~300 vezes, desde sexta-feira. É uma métrica e tanto para um projeto tão pequeno, mas acredito que deve ser útil para outras pessoas.

No nosso roadmap, ainda iremos implementar o cadastro de sprints, sua abertura e fechamento, bem como a geração inteira do gráfico através do hubot. Hoje só geramos as estatísticas, mas não é difícil gerar o gráfico completo.

E aí pessoal, curtiram? Fiquem a vontade para forkar, testar e adicionar novos comandos caso tenham interesse.

Chat Sigma

Olá pessoal, boa tarde!

Implementamos recentemente uma nova funcionalidade no site da SIGMA – o chat. Através do chat é possível obter atendimento imediato para consultas técnicas e comerciais.

Estamos disponíveis com o chat durante todo o horário comercial, sendo que você ainda pode escolher com qual área quer falar: técnica, vendas, entre outras.

É uma pequena melhoria que visa engajar mais diretamente com nossos clientes. Atendimento rápido e fácil, aumentando o leque de opções que temos para melhor servi-lo.

Passe lá e nos dê um alô!

Abraços

Olá pessoal, boa tarde! Implementamos recentemente uma nova funcionalidade no site da SIGMA – o chat. Através do chat é possível obter atendimento imediato para consultas técnicas e comerciais. Estamos disponíveis com o chat durante todo o horário comercial, sendo que você ainda pode escolher com qual área quer falar: técnica, vendas, entre outras. É